O que são ecopontos

Os ecopontos aceitam entulhos (restos de pequenas reformas), madeiras, móveis velhos, podas de árvore e materiais reciclados Pode ser entregue até 1 metro cúbico de material, o que equivale a 1,2 tonelada ou uma caixa d?água de 1 mil litros ou 25% de uma caçamba A quantidade de material entregue está aumentando. Em julho, foram removidos 5,1 mil m³. Em junho, esse total era de 4.080 m³ Do total removido, 50% é material volumoso, como móveis e madeira, 40% é entulho, 10% é reciclável Como cada ecoponto tem 4 caçambas, a estimativa é de 120 caçambas em todas as unidades. Cada caçamba custa cerca de R$ 1,5 mil Os materiais volumosos que não são aproveitados vão para o aterro CDR Pedreiras, na zona norte. Quem faz o transporte são Construfert Ambiental, Paulitec, Qualix, Unileste e Delta Construções Os entulhos vão para os aterros sanitários de Nova Cumbica, em Guarulhos, Brasilândia, na zona norte, e Parelheiros, na zona sul Os reciclados são transportados para as 15 centrais de triagem cadastradas no Limpurb As despesas com água, energia, aluguel e transporte das centrais chegam a R$ 370 mil por mês O Limpurb paga aluguel mensal de R$ 250 mil pelos dez caminhões poliguindastes das empresas Corpotec e Martas, que transportam o entulho. O Limpurb também atua na fiscalização de caçambas irregulares O Limpurb gasta cerca de R$ 96 mil para implantar um ecoponto A subprefeitura tem uma despesa mensal com água, energia elétrica e telefone de R$ 300 a R$ 400 com cada ecoponto local Hoje são 30 ecopontos, mas a Prefeitura quer chegar a 40 unidades até o fim do ano. A meta é ter presença nos 96 distritos

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.