O radical Zé Maria é candidato de novo, para estatizar tudo

Com a decisão dos partidos de extrema esquerda de lançar cada um seu próprio candidato à Presidência, o PSTU homologou ontem o nome do veterano Zé Maria para a disputa. Sua principal bandeira é a estatização de bancos e de grandes empresas.

Lucas de Abreu Maia, O Estado de S.Paulo

27 de junho de 2010 | 00h00

Em 2006, o PSTU aliou-se ao PCB e ao PSOL para lançar Heloísa Helena na corrida presidencial. Neste ano, porém, não houve consenso entre os três partidos.

Esta será a terceira campanha presidencial de Zé Maria - já concorreu em 1998 e 2002. Ele reconhece que continua tendo poucas chances de vitória. "Não é só para ganhar que a gente está concorrendo. Queremos levar nossas ideias aos trabalhadores e estudantes do Brasil." Zé Maria dividirá espaço no campo ideológico com Plínio de Arruda Sampaio (PSOL), Ivan Pinheiro (PCB) e Rui Costa Pimenta (PCO).

Com 13 candidatos no total, 2010 terá a corrida presidencial com o maior número de concorrentes ao cargo desde 1989.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.