O samba paulistano já pede passagem

Agora divididas em duas ligas, em meio à crise financeira, escolas apostaram mais nas comunidades

, O Estadao de S.Paulo

21 Fevereiro 2009 | 00h00

O bloco de laranja de enredo próprio Os garis garantem a limpeza antes de cada exibição e ?elegeram? até rainha neste ano. Itha Rocha, de 57 anos, fez questão de ter um figurino para cada uma das agremiações. Limiar da glória ou do desespero O portão que se fecha ao passar o último integrante da escola já foi cenário de desespero, como na queda da Gaviões. Ontem, havia tranquilidade. Serra e Kassab no camarote Serra e Kassab chegaram juntos, por volta das 22h45, ao camarote da Prefeitura para o primeiro dia de desfiles das escolas de samba do Grupo Especial de São Paulo. Fantasia Engana-folião Nas cadeiras numeradas, foliona se diverte com amigos vestida com uma fantasia engana-folião: desenho de corpo escultural, com direito até mesmo a tatuagem de mentirinha. Peruche inaugura a passarela Comissão de frente da Unidos do Peruche levou o dourado para o Anhembi. Escola, a primeira, foi para avenida às 23h22 para contar o enredo Do ventre da terra, a indomável cobiça do homem. Ellen Roche na ?Fábrica de Sonhos? Como ?fadinha?, à frente dos 280 integrantes da bateria da Rosas de Ouro, a atriz Ellen Roche se integrou ao enredo Fábrica de Sonhos. Ellen foi muito aplaudida pela arquibancada. Afoxé abre festa, com mãe e filho Com apenas 1 mês e 15 dias, tufos de algodão no ouvido, o menino Arthur estreou na avenida no colo da mãe Ana Paula, de 24 anos. O Afoxé Iya Ominibú abriu, às 21 horas, a folia.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.