O sol da meia-noite

O brasileiro não acredita muito em previsões, ainda mais quando elas não são lá muito boas para ninguém. Da mesma forma que chamou de marolinha o tsunami que varreu o mundo financeiro em 2008, não será agora, por conta dos avisos da meteorologia, que vai mudar seus planos de passar o réveillon na praia. Mais que a virada do ano, acalenta-se a virada do tempo nos próximos dias.O próprio Lula, otimista como ele só, deve estar achando que vai fazer sol à meia-noite do dia 31. O presidente não diria "sifu" pra quem neste momento desce a serra para romper o mau tempo estacionado em quase todo o litoral do País.Não é só uma questão de fé: o Brasil é mesmo um país imprevisível, capaz de contrariar qualquer expectativa. Quer ver só? Onde mais a lei seca aumentaria o número de acidentes nas estradas e o sistema de cotas raciais não alteraria o número de estudantes negros nas universidades? Daí a começar 2009 sob céu de brigadeiro... Não esqueça o protetor solar! OTIMISMO 2009"Um país que tem Roberto e Caetano não há como dar errado" - Lula, após assistir aoespecial do Rei na TVAQUILO ROXOAna Maria Braga ganhou um carro conversível roxo do maridão no Natal. Nem o Collor chegou a tanto na época que o ex-presidente era completamente louco pela dona Rosane.Ô, raça!Além do Papai Noel assassino, a novidade de Natal nos EUA foi o perfume masculino com cheiro de hambúrguer. Lançado pela rede americana de lanchonetes Burger King, a novidade esgotou-se de véspera.Chama o Bope!Dois destróieres chineses estão se juntando neste fim de semana a navios de guerra da França, Itália, Grécia, Reino Unido e Alemanha na força-tarefa de caça aos piratas somalis no golfo de Áden. Resta ainda o recurso extremo de se convocar as tropas de elite das polícias do Rio e de São Paulo.Relógio metereológicoO paulistano já está marcando encontro para antes ou depois do temporal do meio da tarde.Chove chuvaO Rio vai gastar R$ 200 milhões para cobrir o Maracanã e proteger o torcedor das chuvas. Se der certo, a medida pode ser estendida para as praias da cidade. De orelha a orelhaAmigos de Dilma Rousseff perceberam ontem um brilho diferente no sorriso da ministra. Ficaram na dúvida se a mudança de expressão é conseqüência da recente operação plástica ou dessa conversa que rola por aí sobre a possibilidade do Gilmar Mendes sair candidato a vice-presidente na chapa de José Serra. Enquanto isso...Chegam neste fim de semana ao comércio de calçadas de Copacabana os primeiros lotes de galochas, capas impermeáveis e guarda-chuvas, tudo branco, para o réveillon.

Tutty Vasquez, O Estadao de S.Paulo

26 de dezembro de 2008 | 00h00

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.