O último golpe

O golpe militar em Honduras pegou muita gente boa de surpresa. Sabe lá o que é acordar um dia com Hugo Chávez do seu lado, pregando as mesmas posições? Estamos todos - eu, você, o Lula, o Obama e o presidente da Venezuela - juntinhos, em defesa do presidente deposto Manuel Zelaya, um latifundiário dono de madeireiras, convertido pelo chavismo ao culto do poder perpétuo. O novo candidato a mártir da democracia é quase tão indefensável quanto a lambança militar que o vitimou no auge de sua impopularidade. Daí a onda de protestos meio envergonhados contra o uso da força em Tegucigalpa. Há, também, quem apenas se ressinta de um opressor mais poderoso para enfrentar. Como disse ontem um intelectual de esquerda num barzinho de Paraty, "golpe de militar na América Latina sem os EUA por trás, francamente, não tem a menor graça!". Que seja o último, pois! CIO LITERÁRIO Quem foi o intelectual que varou a madrugada de estreia da Flip soprando vuvuzelas feito louco pelas ruas do centro histórico de Paraty? Só se fala disso nos bastidores das mesas literárias do evento. OVER BLOND Amigos da apresentadora Eliana estão preocupados com as novas companhias da loura no SBT. Ela e a Hebe juntas, já viu, né? Esquina das más notícias O que faz o prefeito Gilberto Kassab que não desaconselha o tráfego de paulistanos na esquina de Honduras com Argentina? Ontem à tarde, um carro capotou no cruzamento. Todos iguais Diante da zorra total no Senado, a Câmara não teve alternativa ontem senão livrar o deputado do castelo da cassação. Demonstrou, assim, que o Congresso está unido em torno dos mesmos princípios. Vai dar uma espairecida Cristina Kirchner teve bons motivos para topar acompanhar Manuel Zelaya na viagem de volta a Honduras. Qualquer lugar no momento é melhor para ela que a Argentina. Pandemia geral Luciano Huck está exausto! Tem sido requisitadíssimo em casa desde que Angélica entrou em quarentena voluntária na volta de uma viagem para a Argentina. Toda hora rola um procedimento. A apresentadora está adorando o tratamento especial. Nada é pra já O Brasil está dividido. Metade defende o afastamento imediato de José Sarney da presidência do Senado. A outra metade acha melhor deixar passar o enterro de Michael Jackson para não roubar espaço dos funerais do rei do pop na mídia. Confirmado Uma coisa é certa no Senado: A CPI da Petrobrás não sai antes do Sarney.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.