O zôo de São Paulo faz 45 anos

O patriarca da família Caracal não quer nem saber de fazer amizades. Recém-chegado da África e ainda se adaptando ao nosso clima, esse lince (felino parecido com as onças) esconde-se o dia inteiro dos olhares curiosos dos vizinhos e visitantes. Já sua mulher não é tão tímida - ela adora aparecer e ondula o corpo em ronronantes movimentos para a platéia. Mas ultimamente o maior interesse da fêmea felina é cuidar dos dois filhos, que nasceram no Brasil há poucos meses. Apesar de parecerem comuns à primeira vista, os quatro integrantes da família Caracal são as grandes estrelas da festa de 45 anos do Parque Zoológico de São Paulo - que ocorre hoje, com direito a bolo de aniversário e muitas atrações especiais. Eles são os únicos exemplares dessa espécie de lince existentes no Brasil. Expostos pela primeira vez no zôo, esses felinos, parentes do lince americano, só são encontrados na África e em algumas áreas do Oriente Médio. Novas atrações e muitas surpresas para as crianças Além de exibir novas atrações, que antes ficavam isoladas do público, o zoológico preparou muitas surpresas para comemorar seu aniversário. De hoje até o dia 30 estão programadas apresentações didáticas nos recintos dos leões-marinhos e pingüins, exibição de falcões, exposições de fotografia e muitas atividades recreativas. "O importante dessa festa é mudar o conceito do zôo", diz o diretor-técnico José Luiz Catão Dias. "Queremos que as pessoas venham com mais freqüência até aqui. Para isso, estamos tentando transformar o zoológico em um verdadeiro centro de cultura." A dentista Rossana Vonno, de 32 anos, nem lembra da última vez que visitou o zoológico. "Acho que foi com a minha vó, há mais de 20 anos", diz. Ontem de manhã, ela resolveu levar sua filha Fabianne Vonno para passear pela primeira vez pelo local. "Usei minha filha como desculpa para voltar ao zôo", brinca Rossana. "Acho que estou muito mais emocionada do que ela." A duas aproveitaram todas as novas atrações do parque - considerado uns dos cinco melhores do mundo, com cerca de 4.200 animais. Andaram de jardineira, aprenderam a produzir cartões com recortes e visitaram a recém-inaugurada Casa de Educação Ambiental (onde o visitante recebe informações sobre as espécies do zôo). Fizeram até uma visita à família Caracal - quer dizer, a apenas uma parte da família, já que o patriarca continuou escondido em sua toca.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.