OAB cobra governo por assassinato de líderes rurais

O presidente da Ordem dos Advogados do Brasil, Ophir Cavalcante, disse ontem, em Belo Horizonte, que os assassinatos de agricultores na região amazônica são fruto da "omissão dos governos federal e estaduais" e de um "arremedo de reforma agrária". Para ele, "apelidou-se de reforma agrária o ato de entregar lotes de terra e simplesmente fazer assentamento, sem dar condições ao agricultor". A saída para isso é "o governo brasileiro assumir seu papel e encarar a Amazônia com outro olhar".

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.