OAB defende manutenção do complexo do Carandiru

O presidente da Ordem dos Advogados do Brasil-Seção São Paulo (OAB-SP), Carlos Miguel Aidar, solicitou hoje uma audiência com governador Geraldo Alckmin (PSDB) para propor que o Governo do Estado desista do projeto de desativação do complexo penitenciário do Carandiru."O número de unidades prisionais no interior não é suficiente para receber os presos da Casa de Detenção e isso vai perpetuar os problemas de superlotação e condições desumanas nos presídios", argumentou Aidar. Aidar defende a reforma do complexo do Carandiru.A desativação do Carandiru foi anunciada durante o governo Mário Covas (PSDB) e transformou-se em um dos símbolos do projeto de reformulação do sistema penitenciário no Estado. No ano passado, Alckmin apresentou o projeto de desativação do Carandiru, previsto para ser finalizado neste mês de março. Mas o desfecho do projeto foi adiado, por causa do grande número de prisões ocorridas nos últimos meses. "Devido a eficiência do atual policiamento, o sistema prisional do Estado está com mais seis mil novos homens", contabilizou Aidar.O projeto apresentado por Alckmin prevê o fim da Casa de Detenção e a manutenção da Penitenciária do Estado, do Centro de Observação Criminológica (COC), que será transformado em hospital, da Penitenciária Feminina, do Hospital Central Penitenciário, da Escola Penitenciária, da farmácia e das oficinas.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.