OAB denuncia delegado de caso da morte de milionário

A seção fluminense da Ordem dos Advogados do Brasil (OAB) apresentou nesta quarta-feira uma notícia-crime contra o delegado Roberto Cardoso de Souza, titular da Delegacia de Homicídios e responsável pela investigação sobre a morte do ganhador da mega-sena Renné Sena, em 7 de janeiro. A OAB foi acionada pelo escritório Dumans Cerqueira Advogados, que representa a viúva da vítima, Adriana Almeida, presa desde 30 de janeiro por ser a principal suspeita de encomendar o homicídio.O delegado é acusado de divulgar pela imprensa, de forma irregular, gravações de conversas telefônicas entre Adriana e o advogado Alexandre Dumans. A OAB entrou com a ação na 2.ª Vara Criminal de Rio Bonito, que autorizou as interceptações, e pede à Justiça que inicie uma ação penal, sem inquérito policial. Para a ordem, o delegado cometeu crime de quebra de segredo de Justiça, previsto no artigo 10 da Lei 9.296/96. A ação pede ainda a destruição das gravações de conversas entre Adriana e Dumans e que as demais gravações, hoje em poder do delegado, passem a ficar acauteladas judicialmente.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.