OAB pede explicação da PM sobre abuso contra repórter

O presidente da Subseção da Ordem dos Advogados do Brasil (OAB) de Jundiaí, advogado Alexandre Barros de Castro, e o deputado estadual Mauro Menuchi (PT), informaram que vão pedir ao comando do 11º Batalhão de Polícia Militar do Interior explicações sobre o que pode ter sido um ato de abuso de autoridade praticado pelo tenente Rodrigo Antônio Scatena Duó, da PM, contra o chefe de reportagem do Jornal de Jundiaí(SP)jornalista Marco Antônio Sapia.Sapia, que usava um aparelho de rádio (HT) na freqüência da PM e estava checando as ocorrências no plantão policial, responde inquérito por "desenvolver clandestinamente atividades de telecomunicação", conforme o artigo 183 da Lei 9.472, de 16 de julho de 1997, que dispõe sobre a organização dos serviços de telecomunicações. Ao ouvir o rádio, o tenente apreendeu o aparelho, de propriedade do jornal, porque ele funcionava na freqüência exclusiva da PM. O oficial impediu Sapia de sair da delegacia. Usando força física e dando um empurrão no jornalista e o manteve detido no plantão por mais de quatro horas, segundo a declaração dada ao delegado Álvaro de Oliveira Ribeiro Filho. Agora, caso está sendo investigado pela Delegacia Seccional de Jundiaí. Foi levado, também, pelo jornalista, à Ouvidoria da Polícia e encaminhado ao Sindicato dos Jornalistas de São Paulo. O coordenador operacional do 11º Batalhão da Polícia Militar em Jundiaí, capitão Wagner Fachini, informou que o caso está sendo examinado pela instituição. O capitão lembrou que a PM tem procurado se resguardar em relação à escuta de suas comunicações, como meio da garantir a segurança pública.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.