OAB-SP critica baixos salários da categoria

A Ordem dos Advogados do Brasil de São Paulo (OAB-SP) criticou, neste domingo, o salário pago à categoria, chamando-o de "remuneração aviltante".Segundo a ?Carta de Campinas?, elaborada ao final da 27ª Reunião de Presidentes de Subsecções, uma parcela considerável de profissionais do Direito vivem em "condições precárias" e muitos têm trocado a área por outros setores por causa da baixa remuneração.A reunião ocorreu em Campinas, no interior de São Paulo, e contou com a participação de 214 presidentes da Ordem no Estado, representando 170 mil advogados.Uma grande preocupação da OAB-SP é com a necessidade do cumprimento dos direitos dos advogados no exercício profissional por parte de magistrados, promotores e delegados. A atuação mais firme dos advogados é interpretada pelas autoridades, muitas vezes, como desacato."Não queremos exacerbar a litigiosidade, mas demonstrar a força da advocacia", afirmou Carlos Miguel Aidar, presidente da OAB-SP. Ele comentou que está disposto a buscar respaldo no Poder Legislativo, se necessário, para garantir que as prerrogativas no exercício da profissão sejam inteiramente acatadas.A reunião serviu também para que a classe fizesse um repúdio público contra o terrorismo, a violência, a corrupção e as desigualdades sociais. Também destacou a necessidade da OAB-SP atuar com instrumento de vigilância quando ao exercício dos Poderes de Estado.No documento, foi ressaltada a necessidade de promover a capacitação do advogado, como forma de melhorar a atuação da categoria e fortalecê-la como um todo.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.