OAB-SP denuncia agressão a comboio de sem-teto

A Comissão de Direitos Humanos da OAB-SP encaminhou ofício à Corregedoria da Polícia Militar e ao Ministério Público Estadual pedindo a abertura de investigação sobre a agressão de PMs contra um comboio de sem-teto. A PM não confirma o incidente, mas prometeu investigar. Segundo a liderança do MTST, oito caminhões que levavam objetos e algumas famílias foram parados por PMs da Força Tática e policiais de moto na altura do km 18 da Rodovia Anchieta. Eles teriam obrigado os sem-teto a descer dos veículos.Quem resistiu a abandonar o local recebeu golpes de cassetete. Hans Michels, de 36 anos, foi um deles. "Foi uma emboscada", afirma. Ele fraturou um dedo da mão esquerda e ficou com um hematoma nas costas. Segundo Michels, não houve troca de insultos entre os sem-teto e o policiamento. "Eles não pouparam mulheres e crianças", diz.De acordo com o advogado Ariel de Castro Neves, da Comissão de Direitos Humanos da OAB de São Paulo, 26 pessoas ficaram feridas. Cinco registraram queixa e prestaram depoimento na Corregedoria de Polícia. Eles também foram encaminhados ao Hospital da PM para exame de corpo de delito.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.