Obra em calçadas atrapalha comércio na José Paulino

Revitalização deveria ter terminado em junho, mas só deverá ficar pronta em outubro

Humberto Maia Junior, O Estadao de S.Paulo

02 de setembro de 2008 | 00h00

Angela Choi sorri ao lhe perguntarem quando vai começar a reforma da calçada diante de sua loja de roupas femininas na Rua José Paulino, no Bom Retiro, região central de São Paulo. Para uma descendente de orientais tímida, o sorriso é mais eloqüente do que um "acho que vai demorar". A obra, realizada pela Prefeitura, começou em março e deveria terminar em junho. Os trabalhos começaram no final da rua e dois quarteirões já têm calçadas novas.A reforma das calçadas faz parte do projeto da Prefeitura de revitalizar algumas ruas da capital. Na José Paulino, o objetivo é facilitar a circulação dos pedestres, dificultada pelos buracos, desníveis e pela presença de camelôs.Juracy de Sousa Ferreira voltou ontem de férias. Encontrou trechos da calçada parcialmente concluídos. "Hoje (ontem), vim pulando amarelinha." Ao chegar à loja onde trabalha, uma surpresa: ao redor, a calçada estava pronta. Mas, diante da loja, continua esburacado. A balconista Claudia Maria Silva, que trabalha numa loja cuja calçada está com pedras soltas e canos à mostra, tem de lidar com a fúria dos clientes. "Alguns levaram tombos e querem nos processar."O subprefeito da Sé, Amauri Pastorello, que administra a reforma, cita uma lista de problemas para explicar o atraso da obra, que ele classificou, em tom de brincadeira, de "enrascada". "Tínhamos previsto a obra para início imediato e término rápido. Era quebrar a calçada e fazer outra." Problemas no sistema de escoamento de água, guias desniveladas, atraso no fornecimento de cimento e a proibição de que a obra fosse realizada de dia causaram o atraso. O novo prazo para a conclusão dos trabalhos: 15 de outubro.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.