Obras do Metrô mudam paisagem do Ipiranga

Expansão da Linha 2 altera a Avenida Presidente Wilson

O Estadao de S.Paulo

21 de junho de 2008 | 00h00

Os galpões abandonados ao longo da Avenida Presidente Wilson, no Ipiranga, zona sul de São Paulo, se tornaram ícones de degradação em uma região pouco habitada e por onde escoou a riqueza industrial paulista na década de 50. Agora, após 30 anos de abandono, o caminho para o ABC às margens da antiga Estrada de Ferro Santos-Jundiaí começa a ser transformado pelas obras de expansão da Linha 2-Verde do Metrô. Quem passa pela região, próxima do elevado do Expresso Tiradentes (antigo Fura-Fila), vê um cenário que lembra uma cidade pós-terremoto, com toneladas de escombros e paredes derrubadas pela metade ao longo de um canteiro de obras com mais de 2 mil metros de extensão.São dezenas de guindastes e escavadeiras, comandados por 1.480 homens que trabalham no prolongamento de 3.931 metros entre a Estação Alto do Ipiranga e o futuro Terminal Vila Prudente. No meio, ficarão duas novas estações, Tamanduateí e Sacomã, já em obras. Ao longo da Avenida Presidente Wilson, surgirá um trecho elevado de 950 metros, entre a Rua Campante e o Shopping Central Plaza. Ao todo, foram desapropriados 18 galpões nessa região. Ao chegar próximo ao Rio Tamanduateí, na zona leste, o metrô volta para debaixo da terra e segue até a Vila Prudente."A Estação Tamanduateí e o pátio para o estacionamento dos trens serão alteados em relação à Avenida Presidente Wilson", explica o gerente de Construção da Linha 2, Luiz Carlos Meireles de Assis. "De um total de 16 frentes de trabalho, já instalamos 12. No ano que vem, durante o pico das obras, devemos ter 3 mil funcionários trabalhando nesse trecho", acrescentou.Os galpões derrubados não tinham valor arquitetônico e eram ocupados até a década de 70 por indústrias têxteis, metalúrgicas e outras fábricas que exportavam produtos pelo Porto de Santos. Quem passa pelo local observa agora dezenas de pedreiros no alto de alguns galpões, em um trabalho manual de demolição.VERBASCom o incremento dado por uma liberação de R$ 1,2 bilhão do Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES) e mais R$ 500 milhões aplicados pelo governo estadual, a expansão da Linha 2 deve ficar pronta até 2010. A fabricação de 16 trens para circular entre as três futuras estações, com um total de 96 carros, já foi encomendada pelo Metrô. A futura Estação Sacomã se encontra em construção e será instalada sob o eixo da Rua Greenfield, entre as Ruas Bom Pastor e Lino Coutinho. O acesso ao público será voltado para a esquina da Rua Greenfield com a Rua Agostinho Gomes, na frente do Grupo Escolar José Escobar. Os acessos terão escadas fixas e rolantes.Já a Estação Vila Prudente ficará em um terreno adjacente à Avenida Luís Inácio de Anhaia Mello, entre as Ruas Itamumbuca e Cavour. A estrutura será composta por três níveis enterrados que abrigam as salas operacionais, a área de bloqueios e as plataformas. Um dos acessos será constituído de uma edificação que será conectada a um túnel subterrâneo, de 15 metros de profundidade. A conclusão da Linha 2, da Vila Madalena até a Vila Prudente, elevará a demanda para 530 mil passageiros por dia, acrescentando 290 mil usuários ao sistema.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.