Obras do Rodoanel atrasarão ao menos 1 ano

O início das obras da nova fase do Rodoanel Mário Covas deve atrasar pelo menos um ano por problemas no processo de licenciamento ambiental dos trechos sul norte e leste. A empresa Desenvolvimento Rodoviário S.A. (Dersa) teve de fazer a revisão do texto do Relatório de Impacto no Meio Ambiente (Rima), considerado inadequado tanto pelo Ministério Público Federal (MPF) e representantes da sociedade quanto pela Secretaria do Meio Ambiente.A nova redação, que começou há dez dias e só deve estar pronta em mais dez, vai dar ao documento uma linguagem mais acessível. Depois, é preciso cumprir um prazo legal de 20 dias para ampla divulgação do material. Só então poderão ser remarcadas cinco das oito audiências públicas previstas, indispensáveis para a obtenção da licença prévia, passo que antecede a contratação do projeto executivo.Elas foram adiadas por problemas diversos além do Rima, como má localização, horário não convencional, dificuldades de acesso e espaço pequeno. A Dersa pode ter de abrir um sexto encontro, não planejado, em Santo André. Houve apenas três audiências no prazo."Se tudo tivesse corrido normalmente, todo o material estaria sendo avaliado pelo Conselho Estadual do Meio Ambiente (Consema), etapa final do licenciamento ambiental, por volta de 30 de abril e as obras começariam em meados de 2004", disse o coordenador de Gestão Ambiental do Rodoanel, Rubens Mazon, professor da Fundação Getúlio Vargas.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.