Obras em prédio do Detran complicam atendimento

Parte dos funcionários foi para o centro; lixo se acumula

Naiana Oscar, SÃO PAULO, O Estadao de S.Paulo

26 Agosto 2009 | 00h00

O prédio do Departamento de Trânsito de São Paulo (Detran) no Ibirapuera, zona sul de São Paulo, deve ser totalmente desocupado pelo órgão até 11 de setembro para que no local se instale o Museu de Arte Contemporânea (MAC). Até lá, quem precisar recorrer aos serviços do Detran terá de se submeter a um atendimento precário por conta das obras, feitas às pressas, do museu. Provisoriamente, o edifício está sob responsabilidade do Detran e da Secretaria Estadual de Cultura. Mas a gestão compartilhada acabou em bagunça e alguns serviços não estão sendo executados por nenhum dos órgãos. Os banheiros estão sujos; o lixo se acumula no chão. Dos cinco elevadores, só um está em funcionamento. Os outros sofreram pane após o rompimento de uma tubulação de água. Em meio às obras, cerca de 20 mil pessoas passam por dia pela sede do Detran. Mensagens coladas nas paredes indicam o risco de queda de materiais. "Outro dia, começaram a cair umas pedras do andar de cima e por pouco elas não pegaram uma criança", disse um segurança que não quis se identificar. Segundo ele, o carro de um delegado do departamento foi atingido por um pedaço de madeira. No balcão de informações, no térreo, as filas estão ainda mais demoradas. Ontem, no início da tarde, cerca de 70 pessoas aguardavam ser atendidas por apenas dois funcionários. "Os outros dois já estão no centro (num dos novos postos do Detran, na Rua Boa Vista)", disse um deles. A pedagoga Cláudia Calabrez, de 47 anos, levou a filha ao Detran para dar entrada na carteira de habilitação e enfrentou confusão. A maior dificuldade foi encontrar funcionários que pudessem dar informação. "Não sabemos para onde ir e não tem quem nos explique", disse Cláudia. Há uma semana, os operários que trabalham na obra romperam parte do sistema de fibras ópticas que mantêm a rede de informática do Detran. Segundo funcionários, a emissão de CNHs não chegou a ser interrompida, mas o sistema ficou lento. Já o setor que cuida da documentação de veículos teve de paralisar as atividades num período do dia para limpar as impressoras. As máquinas estavam cobertas de poeira. Parte da estrutura administrativa do Detran, como a Corregedoria e a Divisão de Crimes de Trânsito, já está instalada na Rua Boa Vista, no centro. No Ibirapuera, continuam sendo prestados atendimentos relacionados à habilitação, registro e licenciamento de veículos. A Secretaria da Cultura afirmou ontem que a responsabilidade pelos transtornos causados pelas obras é do Detran. O órgão de trânsito não atribuiu responsabilidades e disse apenas que aguarda a conclusão das obras no prédio da Rua Boa Vista para fazer a mudança.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.