Obras na Marginal fazem ônibus intermunicipais atrasar 1 hora

Empresas que vêm de fora da cidade reclamam por descumprir horário e ter de pegar caminhos alternativos

Luísa Alcalde, JORNAL DA TARDE, O Estadao de S.Paulo

10 Agosto 2009 | 00h00

As obras para ampliação da Marginal do Tietê, cujo objetivo é dar fluidez ao trânsito, têm tido efeitos colaterais. A lentidão que causam em alguns momentos do dia afeta diretamente motoristas e passageiros de ônibus intermunicipais que vêm à capital pelas Via Anhanguera e Rodovia dos Bandeirantes. Eles estão demorando em média uma hora a mais para chegar ao Terminal Rodoviário Tietê, na zona norte da cidade. Segundo as empresas, elas não estão conseguindo cumprir horários de chegada por causa das obras, iniciadas em junho. Algumas companhias pagam hora extra aos motoristas presos no trânsito. Outras estão apelando para caminhos alternativos. Veículos da empresa Caprioli Turismo chegam a levar três horas para ir de Campinas até o Aeroporto Internacional de Cumbica, em Guarulhos, na Grande São Paulo. Antes do início da ampliação da Marginal, o trajeto era percorrido em menos de duas horas. "O passageiro leva até um susto quando avisamos o tempo que a viagem está durando", diz José Bernardo Pinto, gerente de Operações da empresa, que transporta cerca de mil passageiros por dia. A companhia faz o percurso de São Paulo a Campinas, com paradas em Valinhos e Vinhedo. "Em menos de duas horas não fazemos mais Valinhos a São Paulo", completa. O mesmo caminho era percorrido em uma hora. "Agora orientamos os usuários a reprogramar o tempo das viagens para que não percam seus compromissos", afirma o gerente. "Nos horários de pico, principalmente à noite, nossos ônibus não conseguem mais chegar à rodoviária. Está um transtorno", completa Hermínio Manuel Comenalli Neto, relações-públicas da Rápido Fênix, responsável pelas viagens que ligam São Paulo às cidades do Circuito das Águas, como Serra Negra, Águas de Lindoia, Amparo, Itatiba e Jundiaí. "Quando dá, os motoristas podem pegar desvios por dentro da capital, mas primeiro precisam consultar os passageiros, para saber se ninguém pretende desembarcar em algum ponto da Marginal," diz Neto. O gerente administrativo Gerson Fonseca, da empresa Pássaro Marron, com 300 partidas diárias do Terminal Tietê, diz que todo fim de tarde, por volta das 18 horas, e no início do dia, perto das 8 horas, o trânsito naquela região é complicado, mas ele não vincula a lentidão especificamente às novas obras. "É o tráfego carregado de sempre." Quando a fila de veículos não anda de jeito nenhum, os motoristas da empresa costumam desviar pela Vila Maria, na zona norte da cidade, para conseguir acessar o terminal. A Socicam, administradora do Terminal Rodoviário Tietê, afirma não ter recebido reclamações de atrasos. E diz que a adoção de caminhos alternativos fica a critério das companhias. Embora as empresas e passageiros associem a longa espera à obra na Marginal, a empresa de Desenvolvimento S.A. (Dersa), que administra o empreendimento, afirma que as mudanças estão sendo executadas no canteiro central e que não há interferência nas faixas locais que prejudique o usuário. VAZAMENTOS Embora a Dersa afirme não haver problemas, as obras já provocaram problemas sérios por duas vezes, quando canos da Comgás foram atingidos por escavadeiras, em junho. Na primeira vez, a lentidão se estendeu até as Rodovias Castelo Branco e Ayrton Senna. Na segunda, o vazamento de gás provocou interdição de parte da via e 15 km de lentidão. Ainda de acordo com a empresa, os serviços que venham a ter interferência direta no trânsito serão realizados no período noturno, sob orientação da Companhia de Engenharia de Tráfego (CET). O analista de sistemas Wladimir Matheus fez a viagem entre São Paulo e Águas de Lindoia em julho. O percurso deveria ter sido percorrido em duas horas e meia, contanto as paradas pelo caminho para pegar passageiros em três municípios, até chegar à capital. "No final da estrada e no limite com São Paulo, as filas de veículos já foram se formando. Levei mais uma hora e meia, a partir dali, para conseguir desembarcar na rodoviária." REFLEXOS Engarrafamentos na Marginal do Tietê causam reflexo no km 11 da Anhanguera e no km 13 da Bandeirantes Por dia, entram na cidade pela Anhanguera, entre as 17h e as 19h, 250 veículos comerciais, entre ônibus e caminhões. O maior número de veículos no horário se concentra entre os km 12 e 11 Pela Bandeirantes, onde a lentidão se estende do km 15 ao 13, no mesmo horário, chegam 332 veículos comerciais

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.