Oficial é acusado de matar sargento em MG

O tenente-coronel Abraão Lincoln Issa Ferreira, do Corpo de Bombeiros de Minas Gerais, está preso desde a noite de quarta-feira em um quartel da corporação, em Belo Horizonte, suspeito de matar a tiros o sargento José da Silva Neto, de 38 anos, durante uma reunião de confraternização. Os disparos teriam sido acidentais, segundo Ferreira. Chefe de uma divisão especial do Corpo de Bombeiros, o oficial, ex-integrante da Polícia Militar, convidou cinco subalternos, entre eles o sargento, para um jantar de fim de ano em um restaurante da zona leste da capital. Testemunhas que não quiseram se identificar informaram que Ferreira e Silva Neto discutiram e o sargento foi atingido na mão e na cabeça pelo oficial. Ao ser detido por superiores ainda no restaurante, logo após o crime, Ferreira contou que sua arma particular, uma pistola semi-automática de calibre 38, disparou acidentalmente quando ele abriu a bolsa para pegar o dinheiro e pagar a conta do jantar. Um tiro acertou a mão do sargento e o outro a cabeça. O também tenente-coronel Nilson Bastos disse que o colega foi autuado em flagrante e que ficará preso até ir a julgamento, na Justiça Militar. De acordo com Bastos, o crime não será investigado pela Polícia Civil, já que tanto o autor quanto a vítima são militares.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.