Oito bananas de dinamite apreendidas em Bangu 5

Oito bananas de dinamite, fabricadas artesanalmente com garrafas plásticas, foram encontradas na Casa de Custódia Bangu 5, no Complexo Penitenciário de Bangu, na zona oeste do Rio de Janeiro.A apreensão ocorreu na última sexta-feira, mas só foi divulgada nesta terça. Segundo a polícia, elas seriam usadas em uma tentativa de fuga. Os artefatos estavam na tubulação de esgoto que passa pelo pátio onde os detentos tomam sol.DetonaçãoUm dos explosivos teve que ser detonado por estar preso no encanamento. O major Dayzer Corpas, coordenador de segurança do complexo, está investigando como o material para a fabricação das bombas entrou em Bangu 5."É comum eles fabricarem arefatos explosivos na prisão", avaliou o major. O Esquadrão Anti-Bombas foi chamado para realizar a detonação, que abriu um buraco no chão. Segundo o inspetor Carlos Henrique Guimarães, a dinamite - conhecida como powergel por conter material gelatinoso - estava em pequenas garrafas plásticas de refrigerante.Fio de pavio"Cada uma continha a gelatina de dinamite, a espoleta e o estopim, responsáveis pela detonação", afirmou o inspetor. Ele informou também que os artefatos foram encontrados por causa de um fio de pavio que estava proeminente e saía da tubulação.Segundo o inspetor, todas as dinamites, usadas geralmente em pedreiras, estavam em perfeito estado. Atualmente, a Casa de Custódia Bangu 5 abriga 500 detentos.Fato comumA apreensão de explosivos dentro de unidades do complexo de presídios de Bangu pela polícia está se tornando comum. Há cerca de um mês, detentos tentaram explodir o muro do presídio Bangu 3 para fugir. Eles tinham explosivo plástico e granadas.Ao mesmo tempo, bandidos em cinco picapes, armados com fuzis, aguardavam a saída dos presos. Os alvos do resgate eram os traficantes Aldair Duarte, o Aldair da Mangueira, Isaías Costa Rodrigues, o Isaías do Borel, Rodrigo Barbosa da Silva, o Rolinha, e Alexandre Mendes da Silva, o Polegar, uma das principais lideranças do Comando Vermelho. A ação foi frustada pela polícia.Bangu 2Na manhã desta terça, agentes penitenciários encontraram no presídio de Bangu 2 um revólver calibre 38, munição e uma pistola, que estavam em uma cela da galeria 4, onde ficam dois presos. O material estava sob uma cama, em um buraco feito pelos detentos, e foi achado durante uma revista.A direção da penitenciária abriu processo disciplinar contra os internos e sindicância para apurar a entrada do material na unidade.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.