Evelson Freitas/Estadão
Evelson Freitas/Estadão

Oito bombeiros são indiciados pela tragédia da Boate Kiss

Inquérito Policial Militar apurou responsabilidades da corporação no incêndio que matou 242 pessoas em Santa Maria

Elder Ogliari, O Estado de S. Paulo

12 de junho de 2013 | 12h18

PORTO ALEGRE - O comandante regional dos Bombeiros de Santa Maria, tenente-coronel Moisés da Silva Fuchs, e outros sete bombeiros foram indiciados pelo Inquérito Policial Militar que apurou responsabilidades da corporação na tragédia da boate Kiss, em 27 de janeiro. No incêndio, 242 pessoas morreram. As conclusões da investigação foram entregues pelo coronel Flávio da Silva Lopes ao comandante-geral da Brigada Militar, coronel Fábio Duarte Fernandes, nesta quarta-feira, 12. Fernandes terá 15 dias para analisar o resultado, emitir um parecer e enviar o inquérito à Justiça Militar do Rio Grande do Sul.

Além de Fuchs, foram indiciados os bombeiros Alex da Rocha Camillo, Renan Severo Berleze, Sérgio Roberto Oliveira de Andrades, Marcos Vinicius Lopes Bastide, Gilson Martins Dias e Vagner Guimarães Coelho por falhas em vistorias e emissões de alvarás. Já o sargento Roberto Flávio da Silveira e Souza é suspeito de participação em empresa que fez obras dentro da Kiss.

Processo. No começo do mês, o juiz Ulysses Louzada, da 1ª Vara Criminal de Santa Maria, determinou a divisão do processo que apura as responsabilidades pelo incêndio na Kiss. Os sócios da casa noturna Elissandro Callegaro Spohr e Mauro Londero Hoffmann e os músicos Marcelo de Jesus dos Santos e Luciano Augusto Bonilha Leão, da banda Gurizada Fandangueira, responderão por homicídio tentado e consumado.

Em 29 de maio, os dois empresários e os dois músicos, que estavam presos desde 28 de janeiro, foram soltos. A decisão da Justiça foi criticada pelos familiares das vítimas do incêndio.

Relembre. A casa noturna de Santa Maria, no RS, teria sido tomada pelo fogo após a faísca de um show pirotécnico queimar a espuma de revestimento acústico do local. A fumaça tóxica liberada pelo incêndio matou 234 pessoas no mesmo dia, mas o número de mortos subiu para 242 em datas posteriores.

Mais conteúdo sobre:
Boate KissSanta Mariaincêndio

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.