AFP
AFP

Oito corpos de vítimas de naufrágio em MS são encontrados

Acidente deixou sete mortos; outras seis pessoas continuam desaparecidas ao fim de mais um dia de buscas

Fátima Lessa, Especial para O Estado

26 de setembro de 2014 | 18h19

Cuiabá - Oito corpos dos 14 desaparecidos após o naufrágio da Chalana (espécie de barco-hotel) Paraguaia Sueño do Pantanal em Porto Murtinho (MS) (440 km de Campos Grande) foram resgatados até às 18 horas desta sexta-feira. Seis pessoas continuam desaparecidas. Três foram resgatados na quinta-feira os outros cinco foram durante esta sexta-feira, dentre eles o primeiro corpo dos 11 tripulantes paraguaios. 

O acidente que deixou mortos e desaparecidos aconteceu na última quarta-feira, 24, e foi provocado por uma tempestade com ventos de até 90 km por hora. Segundo o comandante da Agência Fluvial de Porto Murtinho, capitão Alexandre Brandão, as buscas estão concentradas no interior da embarcação de nacionalidade paraguaia e ao longo das margens do Rio. O local onde o barco foi localizado é muito escuro, a 17 metros de profundidade, em frente à comunidade Peralta, lado Paraguaio.


Na embarcação estavam 27 pessoas, 16 eram turistas e 11 tripulantes paraguaios. De acordo com Boletim de Ocorrência registrado na Polícia Civil, o naufrágio ocorreu por volta das 17h30 (horário de Brasília) no trecho do Rio Paraguai aonde a profundidade chega a 20 metros. Treze pessoas sobreviveram, sendo cinco turistas-pescadores brasileiros e oito tripulantes paraguaios.

O comandante da agência, capitão Alexandre Brandão, disse que as buscas prosseguirão até que seja resgatado o último corpo. Além da Marinha brasileira, participam das buscas seis homens da Marinha Paraguaia.

Segundo o capitão-tenente da Agência Fluvial de Porto Murtinho, Alexandre Brandão da Silva, a embarcação paraguaia só deve ser retirada do rio após autorização da empresa proprietária do barco. Após isso, a remoção deve ser feita pela Armada Paraguaia.

O grupo vítimas da tragédia do Porto Murtinho realizavam pela terceira vez turismo de pesca na região. Eles estavam no último dia da viagem.  Os turistas brasileiros eram Sabaudia, Alvorada do Sul e Londrina.

O comandante da agência, capitão Alexandre Brandão, disse que as buscas prosseguirão até que seja resgatado o último corpo. Além da Marinha brasileira, participam das buscas seis homens da Marinha Paraguaia.

Como estão sem documentação, Brandão, informou que o reconhecimento está sendo feito pelos sobreviventes que acompanham os trabalhos.

Os corpos resgatados são entregues para Polícia Civil e levados para o Hospital Municipal de Porto Murtinho (o município não dispõe de IML). Após os procedimentos legais, os corpos deverão ser entregues para os familiares. 

Tudo o que sabemos sobre:
Porto MurtinhoMato Grosso do Sul

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.