Oito pessoas continuam desaparecidas após naufrágio em Macapá

Secretaria de Segurança Pública do Amapá revê de 12 para 10 as mortes confirmadas até a tarde deste domingo

Alcinéa Cavalcante, especial para O Estado de S. Paulo

13 Outubro 2013 | 17h49

MACAPÁ - Oito pessoas que estavam no barco que naufragou na manhã de sábado, 12, em Macapá, logo após o Círio Fluvial em homenagem à Virgem de Nazaré, continuam desaparecidas, entre elas a presidente da CUT-AP Benedita Odete Guedes Figueiredo.

No sábado, o Corpo de Bombeiros havia informado que 12 pessoas haviam morrido no naufrágio, mas neste domingo a Secretaria de Segurança Pública fez a correção: em vez de 12, são 10 as mortes confirmadas até a tarde deste domingo.

Dos dez corpos resgatados, cinco já foram sepultados e um, cremado. Os corpos da professora aposentada Elizabeth Mourão Moraes e de Poliana Sodré serão trasladados para o São Luís (MA) e Belém (PA). Por falta de vaga nos voos que saem de Macapá, o da professora aposentada será trasladado somente na terça-feira e o de Poliana na segunda-feira.

Os corpos do garoto Gregório Nunes, 9 anos, e de Letícia Pereira Corrêa, funcionária do Sindicato dos Servidores Públicos Federais (Sindsep) foram encontrados neste domingo pela manhã e serão sepultados na segunda.

O barco que naufragou estava alugado para o Sindisep e transportava 63 passageiros, a maioria funcionários públicos e dirigentes do Sindicato.

Mais conteúdo sobre:
Macapá naufrágio

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.