Óleo continua vazando em navio acidentado

Uma semana após a explosão do navio de bandeira chilena Vicuña, no porto de Paranaguá, o vazamento de óleo ainda não foi contido. Mergulhadores holandeses descobriram que os tanques de óleo bunker (combustível naval) colocados na parte traseira da embarcação possuem fendas pelas quais o produto continua vazando. O Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis (Ibama) está aplicando multa de R$ 250 mil diariamente à Cattalini Terminais Marítimos, à Sociedad Naviedad Ultragas (proprietária da embarcação), à P&I (seguradora) e à Wilson Sons (responsável pela carga) em razão de não terem sido tomadas até agora todas as medidas capazes de conter o vazamento e a contaminação.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.