Óleo derramado na Serra do Mar já está contido

Os cerca de 30 mil litros de óleo de navio que vazaram de um caminhão-tanque na tarde de sábado, na BR-277, na Serra do Mar, já estão contidos no Rio dos Pintos, no litoral paranaense. Este foi o terceiro desastre ambiental na região em menos de três meses. O primeiro aconteceu em um duto da Petrobras, de onde vazaram 50 mil litros de óleo. No mês passado, um caminhão derramou 5 mil litros de piche em um bueiro, próximo do local do novo derramamento.De acordo com o diretor do Instituto Ambiental do Paraná (IAP), Hamilton Bonatto, o serviço de contenção está sendo realizado pela Petrobras, que aperfeiçoou o sistema de contingência desde o acidente com o duto. Como ele permanece interditado, o transporte de parte do óleo necessário no porto passou a ser feito por caminhões. No acidente de sábado, um desses veículos que transportava óleo teve, provavelmente, problemas com o freio, colidindo com um outro caminhão que levava farelo de soja.O óleo espalhou-se pelas duas pistas da BR-277, mas o farelo do caminhão acidentado foi jogado sobre o óleo para tentar impedir que o produto poluente alcançasse a mata. Entretanto, parte precipitou-se nas canaletas e desembocou no Rio dos Pintos. As responsabilidades sobre o novo acidente ainda não foram levantadas pelo IAP. Bonatto, no entanto, lamentou que a concessionária Ecovia não tivesse previsto e se preparado para um acidente como esse. A Ecovia garantiu que fez tudo o que estava a seu alcance.As pistas da BR-277 ficaram interditadas até por volta das 21 horas de sábado, provocando grande congestionamento. A limpeza das pistas continuava a ser feita ontem, mas não impedia o tráfego dos veículos que retornavam das praias. Como o óleo fixou-se às margens do Rio dos Padres e Rio dos Pintos, Bonatto prevê dez dias para a limpeza mais grossa, embora uma limpeza fina deva consumir alguns meses.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.