ONG denuncia mais de mil por racismo na web

A organização Safernet, que recebe denúncias sobre violações dos direitos humanos na internet, apresentou ao Ministério Público Federal (MPF) uma lista de 1.037 internautas sociais acusados de praticar, entre 31 de outubro e 4 de novembro, racismo e apologia a crimes contra a vida.

Flávia Tavares, O Estado de S.Paulo

09 Novembro 2010 | 00h00

A onda de manifestações de ódio contra nordestinos foi desencadeada pela estudante Mayara Petruso - só contra ela a entidade recebeu mais de 800 denúncias. "Ao todo, foram 10 mil, mas muitas eram repetidas. Filtramos e chegamos aos 1.037 perfis", explica Thiago Tavares, diretor presidente da Safernet.

Segundo Tavares, foram apresentadas as páginas dos usuários e, portanto, ainda não foram apuradas suas identidades reais. "Essa apuração ficará a cargo do MPF, se aceitar a denúncia." A entidade espera agora uma posição da Justiça. Tavares explica que as manifestações se propagam porque há uma certeza de impunidade na web. "Por isso, esperamos algum tipo de punição, não só para Mayara."

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.