ONGs fazem ato por voto em ficha-limpa

Mobilização para que eleitor escolha bem seus representantes será hoje a partir das 14 horas

Moacir Assunção, O Estado de S.Paulo

02 Outubro 2010 | 00h00

Hoje, a partir das 14 horas, o Movimento de Combate à Corrupção Eleitoral (MCCE) vai promover, na Praça Benedito Calixto, dentro do projeto O Autor na Praça, um ato público em prol da utilização, ainda nestas eleições da Lei da Ficha Limpa.

"Enquanto o STF decide se a lei vale para estas ou para as próximas eleições, queremos lembrar ao eleitor que ele é o supremo juiz na hora de voto e deve escolher bem seus representantes", afirmou o advogado Luciano Santos, um dos coordenadores do MCCE, rede de 46 ONGs que apresentou o projeto de iniciativa popular que resultou na Lei da Ficha Limpa, sancionada no dia 4 de junho deste ano. Durante o evento, os eleitores poderão comprar os livros Lei da Ficha Limpa e Policidadania.

O juiz eleitoral e coordenador do MCCE, Márlon Reis, acredita que, apesar do impasse que se verificou no STF quando do julgamento da lei, a corte fará valer a Ficha Limpa. "Acreditamos que na primeira oportunidade a corte vai reconhecer a constitucionalidade e a eficácia imediata da lei, ou seja sua validadade para este ano", afirmou.

Independente da Ficha Limpa, Neste pleito, mais do que em qualquer outro da história do País, o eleitor terá à disposição um grande número de ferramentas eletrônicas para conhecer melhor e fiscalizar os políticos que disputarão cargos públicos, podendo punir nas urnas os candidatos desonestos.

Com o avanço da organização da sociedade civil aliada à comodidade da internet, o pleito deverá ser marcado por uma incomum possibilidade de conhecer melhor os candidatos.

"A preocupação com a transparência e a correta aplicação dos recursos públicos têm evoluído de forma significativa. Muitas formas de informação entre sites, blogs e listas públicas surgiram nos últimos anos, mas temos a consciência de que não é a maioria da população que tem acesso a isso, embora esse grupo tenha papel decisivo na eleição", ponderou o economista Gil Castelo Branco, coordenador do site Contas Abertas que esmiúça o orçamento público federal.

Claudio Weber Abramo, presidente da Transparência Brasil concorda com Castelo Branco. "O eleitor votará melhor quanto mais tiver informação sobre os candidatos. Os sites de fiscalização jogam luz sobre os políticos e ajudam a formar a opinião dos cidadãos."

Excelências. Sites como o da Transparência Brasil permitem, por meio do Projeto Excelências, saber muito mais sobre a vida de senadores, deputados federais, estaduais e vereadores dos principais municípios, inclusive com notícias de jornal sobre corrupção. Ainda nesse portal, o projeto Às Claras permite saber quem financia quem nas campanhas políticas, com dados do TSE.

Se o interesse do eleitor é fiscalizar prefeitos, o site da Amigos Associados de Ribeirão Bonito permite baixar gratuitamente o livro O Combate à Corrupção nas Prefeituras do Brasil, que ensina como montar uma organização não-governamental (ONG) especializada em análise de gastos públicos em nível municipal e denúncias de fraudes.

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.