ONGs pedem mais segurança em protesto na frente do Bandeirantes

Cerca de 100 pessoas participaram hoje de uma manifestação pacífica em frente ao Palácio dos Bandeirantes, sede do governo paulista, pedindo mais segurança e atenção para a zona sul. O grupo, coordenado por Luiz Carlos dos Santos, da ONG "Instituto Sol" e do Movimento Tome uma atitude Zona Sul pela Não Violência", fez um enterro simbólico diante do Palácio.Eles também apresentaram os números da violência na região sul da capital: em 2001, segundo Santos, foram assassinados 620 jovens, entre 12 e 15 anos. E entregaram uma série de propostas. O protesto, com faixas e cartazes, exigia do governo paulista maior atenção para os bairros da Capela do Socorro, Parelheiros e Grajaú.Os manifestantes criticaram, além da política de segurança dos governos municipal e estadual, a atenção exagerada ao que chamaram de "crime da moda", o seqüestro. A cada dois meses, segundo Santos, o Movimento faz manifestações semelhantes à de hoje, para tentar sensibilizar as autoridades. Entre os locais escolhidos para os protestos, sempre pacíficos, estão a Assembléia Legislativa, a Câmara Municipal e a sede da prefeitura.O grupo queria uma audiência com o governador Geraldo Alckmin. Alguns líderes foram recebidos pelo secretário da Casa Civil, Rubens Lara, que prometeu encaminhar ao governador as propostas entregues.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.