Ônibus bate em 3 carros e mata 4 pessoas

Quatro pessoas de duas famílias morreram em um acidente envolvendo um ônibus e três automóveis, no cruzamento da Avenida Barão de Itapura e Rua Delfino Cintra, no centro de Campinas, 95 quilômetros a noroeste de São Paulo, nesta segunda-feira, por volta das 7 horas.O trânsito no local ficou interditado atéaproximadamente 10 horas, e o fluxo de automóveis foi desviado para ruas próximas. O socorro às vítimas mobilizou o Corpo de Bombeiros, a Defesa Civil e fiscais da Empresa de Desenvolvimento de Campinas (Emdec), que controla o trânsito dacidade.Teresa Umberlina, de 59 anos, e o filho Marcelo Costa, de 38, que estavam em um automóvel Escort, morreram no local. Os ocupantes de uma Belina, Jorge José de Souza, de 50 anos, e o filho DiegoJosé de Souza, de 13, chegaram a ser levados para o Hospital Mário Gatti, onde morreram.O ônibus da Viação Expresso Itamarati saiu de Caçu, em Goiás, com destino a Campinas e chegou à cidade com cerca de 40 passageiros. Perto da rodoviária, na Avenida Barão de Itapura, o veículo ficou descontrolado, bateu em um automóvel da Emdec, na Belina, no Escort e somente parou ao colidir com um poste. Nenhumpassageiro ficou ferido, conforme a empresa.A Polícia Civil informou que a perícia ainda está averiguando as causas do acidente. O gerente geral da empresa, Gilmar Gino Ferreira Gonçalves, lamentou o ocorrido e alegou que a causa mais provável seria um problema com a bomba injetora,causando o aceleramento descontrolado do motor do veículo.Gonçalves comentou que os passageiros mudaram de carro em Paranaíba, no Mato Grosso do Sul, porque o ônibus em que estavam teve um cano de óleo diesel perfurado. Em São Carlos, já no Estado de São Paulo, o veículo de reserva também passou por revisão mecânica para trocar uma válvula do sistema de ar.O gerente afirmou que, após o acidente, uma equipe foi enviada a Campinas para auxiliar no atendimento às famílias das vítimas e aos passageiros. Ele disse que os parentes dos mortos deverão ser indenizados, mas afirmou que ainda não é possível falar em valores. As vítimas deverão ser enterradas nesta terça-feira de manhã, nos cemitérios Amarais e Parque das Flores, em Campinas.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.