Ônibus deixam rua residencial e complicam Marginal

No Brooklin, ontem à noite, a Companhia de Engenharia de Tráfego (CET) já havia resolvido o problema dos moradores, apesar de ter prejudicado os motoristas que trafegavam por aquela área da zona sul. Depois do protesto realizado de manhã por condôminos de um prédio residencial, o ponto de embarque e desembarque da Rua Guilherme Barbosa de Melo foi transferido para a Avenida das Nações Unidas (Marginal do Pinheiros). Às 18h55, uma fila de 80 fretados tentava parar para o embarque de passageiros. Entenda as restrições e opine: a Prefeitura deve aliviar as regras? O ponto anterior, além de incomodar os moradores, prejudicava o trânsito. Antes de chegar à parada, os ônibus tinham de contornar um quarteirão de ruas estreitas, causando reflexos e até congestionamentos na Nações Unidas. Pela manhã, por causa do protesto, os fretados tiveram de desembarcar passageiros em plena Marginal. A Polícia Militar ainda tentou negociar com os manifestantes para que algumas pistas fossem liberadas para o tráfego. Às 5h30, porém, um grupo de cerca de 40 moradores do Edifício Côte d?Azur interrompeu o acesso à Rua Guilherme Barbosa de Melo. A reclamação era de que os passageiros que esperam por fretados na calçada impediam a entrada e saída dos condôminos. "A multidão não abria passagem", disse Inês Rodrigues, conselheira do edifício.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.