Ônibus pegou ladrões em favelas antes de assaltos

Em cada parada, bandidos subiam no veículo, roubado; depois, eles levaram R$ 130 mil de 2 transportadoras

Clarissa Thomé, O Estadao de S.Paulo

13 de dezembro de 2007 | 00h00

Traficantes roubaram ônibus e fizeram um lotação para assaltar duas transportadoras de carga no Mercado São Sebastião, no centro de abastecimento da Penha, zona norte do Rio. O motorista da Linha 260 (Vila Valqueire-Praça 15) foi obrigado anteontem à noite a parar em três favelas - Morro da Matriz, Jacarezinho e Manguinhos -, controladas pelo Comando Vermelho. Ao todo, ele transportou entre 20 e 25 homens. Em seguida, o bando, que estava atrás de televisores de plasma e de LCD, levou cerca de R$ 130 mil em mercadorias das transportadoras, que seriam entregues a lojas de Rio, São Paulo e Espírito Santo.A ousadia do grupo surpreendeu os delegados que investigam o caso: Alcides Iantorno, da 22ª DP (Penha), e João Luiz Costa, da Delegacia de Roubos e Furtos de Carga (DRFC). "Para mim é inusitado. Nunca tinha visto criminosos roubarem um ônibus para lotação", afirmou Costa.O motorista David Rodrigues Souza, de 37 anos, contou que um casal fez sinal para o ônibus na Avenida Marechal Rondon, no Engenho de Dentro, próximo do Morro São João. Assim que o casal entrou no veículo, ele foi dominado e os passageiros tiveram de descer. O casal destruiu o sistema de gravação de imagens do ônibus, a fim de dificultar a identificação e iniciou o lotação pelas favelas.Souza foi deixado pelos criminosos na Avenida Brasil, na frente do Centro de Instrução da Marinha, em Olaria. O bando seguiu, então, para o Mercado São Sebastião. O ônibus foi deixado na Rua da Soja, transversal à Rua do Alho, onde as transportadoras dividem o mesmo terreno, num esquema de condomínio. Os criminosos entraram pelos fundos e dominaram os funcionários da Hi-Tech. Logo depois, fizeram reféns os empregados das transportadoras Friburgo Time Express, Tecmar e Modal. Seguiram para a guarita, onde dominaram o porteiro e abriram o portão principal para a entrada de um caminhão. "Provavelmente, eles roubaram o veículo já no Mercado São Sebastião", afirmou Costa.De acordo com o delegado, eles já encontraram um caminhão carregado com eletrodomésticos, como geladeiras, fogões, tevês, além de brinquedos e videogames. Funcionários das transportadoras foram obrigados a abastecer outro caminhão, que estava a serviço da Hi-Tech. Ao todo, a empresa perdeu R$ 109 mil em material. Já a Friburgo perdeu cestas de Natal, copos, talheres, pratos, secadores e pranchas de cabelo - um prejuízo de R$ 20 mil. "Eles já sabiam o que queriam e quais as transportadoras tinham produtos de alto valor. As outras duas empresas tinham alimentos nos seus galpões e eles nada levaram", observou o delegado Costa.RELATONa Hi-Tech, houve momentos de pânico. "Eles disseram que só queriam levar o do patrão. Perguntavam por dinheiro. Uma funcionária disse que não trabalhavam com dinheiro no galpão, mas eles acabaram achando R$ 350 que estavam separados para o pagamento do jantar dos trabalhadores. Eles ficaram nervosos, acharam que ela estava escondendo o dinheiro do patrão e roubaram os pertences dela", contou um funcionário, que preferiu não ser identificado.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.