Reprodução Google Street View
Reprodução Google Street View

Ônibus são incendiados em Belo Horizonte e na região metropolitana

Em um dos ataques, criminosos deixaram bilhete pedindo melhorias no presídio Dutra Ladeira, em Ribeirão das Neves

Ana Paula Niederauer e Leonardo Augusto, O Estado de S.Paulo

28 Dezembro 2017 | 10h41

Ao menos quatro ônibus dos transportes públicos foram incendiados em Belo Horizonte e em Contagem, na Região Metropolitana, entre a noite dessa quarta-feira, 27, e a madrugada desta quinta-feira, 28.

Os crimes foram registrados, no intervalo de oito horas, nos bairros Barreiro, Goiânia, Betânia (Anel Rodoviário), além de uma ocorrência no bairro Riacho das Pedras, em Contagem.

De acordo com a Polícia Militar, em um dos ataques, no bairro Goiânia, os criminosos deixaram um bilhete com o motorista reivindicando melhorias na Penitenciária Dutra Ladeira, em Ribeirão das Neves, na Região Metropolitana.

O texto afirmava ainda que o incêndio de coletivos vai continuar até que a situação no presídio mude. O primeiro ônibus foi queimado em Belo Horizonte, às 16h40. Os outros ataques ocorreram às 22h44, novamente na capital, às 22h55, em Contagem, e à 0h12, em Belo Horizonte, conforme os horários das ocorrências policiais. 

Segundo a PM, os invasores agiram de forma parecida em todos os atentados. Cerca de dois ou três homens invadiram os coletivos, com galão de combustível, e afirmavam aos passageiros para terem calma e que não queriam machucar ninguém, apenas atear fogo. Ninguém ficou ferido e em nenhuma ocorrência os homens foram presos.

Em nota, a Secretaria de Estado de Administração Prisional (SEAP) afirmou não ser possível "estabelecer relação entre o fato ocorrido e o Sistema Prisional, até que a Polícia Civil conclua as investigações criminais".  

A secretaria disse ainda que "todas as denúncias formalizadas são devidamente apuradas e tomadas às providências necessárias, observando normas e preceitos legais pertinentes, a exemplo do amplo direito de defesa e do contraditório".

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.