Ônibus vai testar gás natural no Rio

A Petrobras e a Federação das Empresas de Transportes do Leste Meridional do Brasil (Fetranspor) vão testar o uso do gás natural no transporte público do Rio de Janeiro. A intenção é reduzir o consumo de óleo diesel e a emissão de poluente. A estatal vai ceder um ônibus, que será utilizado no transporte de passageiros na capital fluminense. Durante um período de experiência, a Petrobras avaliará o desempenho do ônibus, o custo da tarifa e a aceitação dos passageiros.O programa faz parte de uma iniciativa conjunta da estatal e entidades de transporte. De acordo com o coordenador do Programa Nacional de Racionalização do Uso de Petróleo e Gás Natural (Conpet), João Eudes Tuma, só em 2001 as emissões de dióxido de carbono (CO2) foram reduzidas em 400 mil toneladas e o uso de diesel, em 144 milhões de litros.As reduções foram obtidas com o acompanhamento do uso de combustíveis por 70 mil veículos e o treinamento de motoristas. "Um motorista treinado consome 25% menos de combustível", diz Tuma. O objetivo do programa, criado em 1996, é reduzir em 13% o consumo de diesel pelo setor de transportes. Atuamente, o País consome 620 mil barris de diesel por dia, cerca de 30% dos 1,8 milhão de barris de combustível vendidos diariamente pela Petrobras. A economia pode chegar a US$ 500 milhões por ano, calcula Tuma."Se o País aprende a economizar e a usar racionalmente o combustível, ele se desenvolve e o mercado para outros produtos cresce", diz o diretor de gás e energia da Petrobras, Antônio Luiz de Menezes. A Petrobras está investindo também na redução dos níveis de enxofre do diesel que produz. Até agora, foram US$ 1 bilhão e nos próximos quatro anos, será o dobro, de acordo com Menezes. A meta é reduzir os níveis de enxofre do diesel metropolitano de 0,2% para 0,005% até 2009. No diesel não metropolitano, o teor de enxofre cairá de 0,35% para 0,05%.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.