ONU: Relatora critica trabalho da Febem de São Paulo

A relatora especial da Comissão de Direitos Humanos das Nações Unidas sobre Execuções Extrajudiciais, Sumárias ou Arbitrárias, Asma Jahangir, aproveitou a reunião com o presidente Luiz Inácio Lula da Silva, no Palácio do Planalto, para criticar o trabalho desenvolvido pela Febem de São Paulo e para elogiar a união das forças da sociedade civil na luta contra o crime organizado no Espírito Santo. Foi o que afirmou há pouco o ministro da Justiça, Márcio Thomaz Bastos, que participou do encontro. De acordo com o ministro, o governo brasileiro mostrou à relatora as ações que têm sido tomadas para o combate à violência. "Foi apresentada a ela aquela velha tese de que, na verdade, no Brasil, se tem uma linha de montagem de criminalidade e não uma linha de combate à criminalidade. Nós falamos da necessidade de alterar essas ferramentas que o Estado tem para trabalhar com a realidade, que são as Febems, a polícia, o poder Judiciário e o sistema prisional", disse Bastos.O ministro afirmou que o presidente expôs à relatora o trabalho que o governo tem desenvolvido para acelerar a votação da reforma do Judiciário. "Nós falamos do trabalho que estamos fazendo para ajudar a reforma, para que se tenha uma justiça mais rápida , mais próxima do povo e que tenha uma resposta mais pronta contra a criminalidade", disse Bastos. Segundo o ministro, Asma Jahangir pretende incluir em seu relatório a necessidade de as Nações Unidas enviarem ao Brasil um relator especial sobre os poder es judiciários, que poderia contribuir com os debates sobre reforma que está em tramitação no Congresso Nacional."Esse relator faria um exame das questões do Judiciário, um trabalho semelhante ao que ela fez em relação aos direitos humanos", explicou. As informações são da Agência Brasil.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.