Marcos Corrêa/Presidência
Marcos Corrêa/Presidência

Onyx compara risco de arma em casa a liquidificador

Ministro da Casa Civil disse que evitar acidentes é questão de educação e orientação

Redação, O Estado de S. Paulo

16 Janeiro 2019 | 00h05

O ministro da Casa Civil, Onyx Lorenzoni, comparou nesta terça-feira, 17, o risco a uma criança de ter arma em casa com o risco de se machucar com um liquidificador. Também disse que evitar acidentes é "questão de educação, questão de orientação." O pronunciamento de Onyx Lorenzoni foi feito após o presidente Jair Bolsonaro assinar nesta terça decreto que facilita a posse de arma no Brasil.

A medida assinada por Bolsonaro torna possível adquirir até quatro armas, amplia o prazo de validade do registro de cinco para dez anos e, na prática, dispensa o cidadão de comprovar que tenha a “efetiva necessidade” de possuir armamento, o que era previsto pela legislação anterior (entenda aqui o que muda na prática).

"Criei quatro filhos com arma dentro de casa e meus filhos nunca foram lá porque eu ensinei para eles o que ela significava. A gente às vezes vê criança pequena botar o dedo dentro do liquidificador, ligar e perde o dedinho. Aí vamos proibir o liquidificador? Não", disse Onyx.  Ao explicar sobre a  necessidade de o cidadão declarar se tem cofre ou local seguro para guardar a arma, o ministro disse que "quem tem criança, adolescente, pessoa com deficiência de ordem mental (em casa) tem de ter cuidado redobrado".

Porte de armas

O ministro disse, ainda, que o governo estuda agora medidas que serão apresentadas nos próximos meses para flexibilizar o porte de armas, a abertura de mercado para esse produto e questões específicas que envolvem colecionadores, atiradores e competidores.

 

 

Mais conteúdo sobre:
Onyx Lorenzoniarma

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.