"Operação 25 de Março" registra mais apreensões

No segundo dia da "Operação 25 de Março", realizada desde ontem no centro de São Paulo, pela Subprefeitura da Sé, em parceira com a Guarda Municipal Metropolitana e a Secretaria Estadual da Fazenda, oito prédios foram vistoriados e dois deles foram autuados pelo Departamento de Controle e Uso do Solo (Contru) por falta de segurança.Neles, 29 guarda-volumes não tinham licença de funcionamento e foram intimados a se regularizarem. Foram apreendidos 345 sacos de mercadorias sem nota fiscal (CDs piratas, roupas, óculos), segundo informações da Prefeitura.A operação vai até as 17 horas, quando será divulgado o balanço final dos dois dias de operação, cujo objetivo é localizar e fechar armazéns e prédios utilizados como depósitos de mercadorias contrabandeadas. Desta vez, os fiscais podem vistoriar vans e Kombis que ficam estacionadas nas proximidades da 25 de Março e que também servem como depósitos para os ambulantes.Confira o balanço parcial divulgado pela Prefeitura: 3,9 mil apreensões de mercadorias diversas sem nota fiscal um prédio foi lacrado pelo Contru por total falta de segurança nas instalações na rua da Cantareira, 411. Ali foi encontrada uma fábrica de CDs piratas 43 estabelecimentos (lojas, guarda-volumes) foram intimados pela Subprefeitura da Sé a apresentar sua licença de funcionamento. Em 19 deles, foram encontradas mercadorias sem nota fiscal 16 estabelecimentos intimados pelo Contru a realizar obras de segurança 21 barracas de ambulantes que vendiam mercadoria sem nota fiscal foram apreendidas 22 veículos autuados 21 veículos foram apreendidos por falta de documentação sete veículos tinham em seu interior mercadorias sem nota fiscal 19 barracas de ambulantes que vendiam mercadoria sem nota fiscal foram apreendidas

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.