Operação Barão prende 24 por golpes em caixas eletrônicos

Segundo a PF, o bando conta com a ajuda de engenheiros que criam sistema para roubar dados de cartões

Solange Spigliatti, do estadao.com.br,

13 Setembro 2007 | 11h32

A Polícia Federal já prendeu, durante a Operação Barão, 24 dos 25 envolvidos com o desvio de cerca de R$ 20 milhões de contas de correntistas de bancos. A operação tem como foco a quadrilha que usava dispositivos eletrônicos, popularmente conhecidos como "chupa cabras", para desviar o dinheiro de correntistas em caixas eletrônicos.   PF procura bando que desviou R$ 20 mi em caixas eletrônicos    Cerca de 250 policiais estão cumprindo os mandados de prisão e de busca e apreensão em Goiás, Tocantins, Mato Grosso, Distrito Federal, São Paulo, Pará, Espírito Santo, Minas Gerais e Rondônia. Em são Paulo, a única prisão foi de Flávia Andrade dos Santos, feita em Cotia.   Segundo a PF, a quadrilha convencia funcionários de empresas terceirizadas encarregados da manutenção de terminais de auto-atendimento de vários bancos para participar dos crimes. Por ter acesso facilitado aos caixas eletrônicos, instalavam os dispositivos que permitiam a coleta de dados de contas e cartões eletrônicos.   Veja a lista dos presos na operação:   Alessandro Oliveira Faria Marcio André Alves de Faria Leandro Oliveira Correa Weliton José dos Santos Wilson Carneiro de Oliveira Junior Abel Oliveira Neves Junior Antônio Santo de Almeida Filho Márcio Egídio Santiago Luciano Dias Ferreira Luiz Martins Braga João Luiz de Souza Welber Carlos Gomes dos Santos Jean Cleber Alencar Loureiro Nilzomar de Souza Paixão Nivaldo Alves dos Santos Elias de Souza Isaias de Souza Paulo Henrique da Silva Cesar Augusto Costa Nascimento Aldryn Adriano Carvalho de Araújo José Ataíde Alves de Siqueira Barboza Flávia Andrade dos Santos Luciana da Silva Gomes

Mais conteúdo sobre:
golpes em caixas eletrônicos

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.