Operação contra desvio de recursos públicos termina com cinco presos em GO

Quadrilha investigada há seis meses fazia uso de notas frias na Associação de Combate ao Câncer

Priscila Trindade, do estadão.com.br,

08 Fevereiro 2012 | 15h50

SÃO PAULO - A Operação Biópsia, iniciada na terça-feira, 7, prendeu cinco pessoas suspeitas de envolvimento no desvio de recursos públicos na Associação de Combate ao Câncer em Goiás (ACCG). A ação continua a ser realizada nesta quarta-feira, 8, e os nomes dos presos ontem não foram divulgados para não atrapalhar as investigações.

Deflagrada pelo Ministério Público, com o apoio da Polícia Militar, a operação resultou no cumprimento de sete mandados de busca e apreensão. Foram recolhidos documentos e CPUs de computadores. Entre os presos estão quatro integrantes da ACCG e um empresário, residentes na Região Metropolitana de Goiânia.

A operação é resultado de investigação criminal instaurada pelo Gaeco, que há cerca de seis meses apura indícios de diversas irregularidades. Entre as práticas já comprovadas estão o uso de notas frias, o pagamento de produtos que não foram entregues, além do pagamento de supersalários.

Na ação realizada hoje estão envolvidos 40 homens do Comando de Operações Especiais, e outros 15 do setor de inteligência da PM.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.