Operação contra milícia prende 16 pessoas na Baixada Fluminense

Entre os integrantes da quadrilha estão policiais civis, militares e do Exército e Marinha

estadão.com.br, texto atualizado às 22h19

07 Março 2012 | 09h21

SÃO PAULO - Terminou com 16 presos a operação Pacificador, da Polícia Civil, contra uma quadrilha de milicianos que atua no município de Duque de Caxias, na Baixada Fluminense, no Rio.  A ação desencadeada nesta quarta-feira, 7, cumpriu 58 mandados de busca e apreensão. Entre os integrantes da quadrilha com mandado de prisão decretado pela Justiça estão policiais militares, ex-PMs, um integrante do Exército e um fuzileiro naval da Marinha.

Segundo a Polícia Civil, a quadrilha, investigada há um ano, atua pelo menos desde 2007, em 13 bairros de Duque de Caxias. Além de cobrarem taxas por seviços clandestinos de segurança, eles impunham preços mais altos para a cesta básica, praticavam tráfico de armas, exploravam a distribuição ilícita de gás, sinal de TV a cabo, internet e jogos de azar e faziam transporte coletivo clandestino com vans e moto-taxis. Os milicianos, segundo a polícia, são responsáveis por vários homicídios, ocultação de cadáveres e tortura.

Vinte e cinco pessoas foram denunciadas pelo GAECO à 2ª Vara Criminal da Comarca de Duque de Caxias por formação de quadrilha armada para a prática de crime hediondo. Na ação deflagrada hoje, foram aprendidas uma central de TV a cabo clandestina com 3 mil assinantes, R$ 2.560, entre outros materiais.

Mais conteúdo sobre:
Milíciaviolência

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.