Operação da PF fecha clínica no Mato Grosso

Sete foram presos em dois estados durante a operação

estadão.com.br

09 Março 2012 | 13h38

SÃO PAULO - Uma clínica de exames de ultrassonografia em Barra do Garças, no Mato Grosso, foi interditada nesta sexta-feira, 9, durante a Operação Pró-Vita, da Polícia Federal. Ao menos sete foram presos em dois estados.

 

Segundo a Polícia Federal, a clínica possuía o Alvará Sanitário vencido e foram encontrados medicamentos contrabandeados e materiais cirúrgicos para realização de abortos além de medicamentos do Sistema Único de Saúde (SUS).

 

De acordo com a Secretaria Municipal de Saúde, o local não possuía acordos com o município para uso dos medicamentos encontrados, entre eles o produto Novormon injetável, de uso exclusivamente veterinário, Misoprost-200, de uso ilegal no Brasil e instrumentos como agulhas espinhais e anestésicos, entre os quais Propofol e Morfina.

 

Originalmente, o estabelecimento tinha autorização para produzir consultas médicas e realização de ultrassonografias, que não necessitam de anestesias. A PF reuniu provas no inquérito por meio de depoimentos de mulheres as quais confessaram ter pago de R$ 800,00 a R$ 3 mil por procedimentos abortivos no local. O dono da clínica é o médico preso na operação.

Mais conteúdo sobre:
medicamentosPolícia federal

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.