Informação para você ler, ouvir, assistir, dialogar e compartilhar!
Tenha acesso ilimitado
por R$0,30/dia!
(no plano anual de R$ 99,90)
R$ 0,30/DIA ASSINAR
No plano anual de R$ 99,90

Operação da polícia do Rio combate estelionatários em quatro Estados

Segundo delegado, em menos de dois anos, o golpe causou prejuízo de mais de R$ 37 milhões a bancos, pessoas físicas e jurídicas

Adriano Barcelos, O Estado de S. Paulo

11 de novembro de 2013 | 09h32

RIO - Uma operação deflagrada pela Polícia Civil do Rio de Janeiro na manhã desta segunda-feira, 11, busca combater uma quadrilha de estelionatários que causou prejuízos a empresários dos Estados do Rio, Espírito Santo, Bahia e Paraná. A ação, que está a cargo da 54ª Delegacia de Polícia, de Belford Roxo, na Baixada Fluminense, visa a cumprir 15 mandados de prisão e 28 de busca e apreensão simultaneamente nos quatro Estados. Duzentos policiais civis estão envolvidos na operação.

A quadrilha, segundo o delegado Felipe Curi, titular da 54ª DP, envolveria ex-candidatos a deputado federal e a vereador, um advogado, um contador, um despachante, um sargento do Exército, o assessor de gabinete da prefeitura de Belford Roxo, empresários e "lobistas" políticos com atuação na Baixada Fluminense. Ainda conforme Curi, o golpe causou em menos de dois anos um prejuízo de mais de R$ 37 milhões a bancos, pessoas físicas e jurídicas.

O golpe consistia basicamente na tentativa de atrair pequenos empresários interessados em fechar negócios com o poder público. Eles convenciam os empresários a aumentar o capital de suas empresas através de empréstimos no sistema bancário. Como não conseguiam honrar os compromissos, os donos das pequenas empresas acabavam aceitando se associar a laranjas da quadrilha. Com o capital obtido graças aos empréstimos, o grupo criminoso formava uma espécie de pirâmide para atrair novas vítimas, conforme os policiais.

A investigação durou sete meses e os presos responderão por lavagem de dinheiro, formação de quadrilha, estelionato e falsidade ideológica.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.