Operação de segurança a turistas chega ao porto do Rio

Órgãos estaduais e municipais fizeram hoje uma operação no porto do Rio para coibir irregularidades e dar mais segurança aos turistas que chegam à cidade. Montado na semana passada nos aeroportos doméstico e internacional, o esquema foi levado ao porto por causa da grande movimentação de transatlânticos. Hoje quase 5 mil turistas desembarcaram no Rio. No fim de semana chegam mais 5.600. Cinco transportadoras de turismo estavam com o cadastro no Ministério do Turismo vencido e uma com documentos adulterados. Motoristas de quatro táxis e de uma van irregulares foram autuados. Participaram da ação além da polícia, órgãos de ordenamento do trânsito, Guarda Municipal e Secretaria de Estado de Turismo. A intenção era reprimir taxistas e motoristas de vans que agem ilegalmente, além de guias não cadastrados e ambulantes. O sindicato da categoria no RJ estima que estejam em atividade, no Rio, cerca de 300 guias não cadastrados - para quase 3.000 legalizados. O vice-presidente da entidade, Mauro Rubinstein, lamenta que a Secretaria de Turismo não disponha de funcionários suficientes para percorrer os terminais de desembarque de turismo e os pontos turísticos. "Não é qualquer pessoa que pode trabalhar como guia. Tem muita gente malformada e mal-intencionada". Operações como a de hoje continuarão a ser montadas no porto até o fim da temporada de navios, em abril, informou Luiz Brito Filho, assessor especial da Secretaria de Turismo. Para os próximos dias, estão previstas três atracações: no sábado, chega o Grand Mistral, com 1.600 passageiros; no domingo, o Costa Victoria, com 2.464, e o MSC Victoria, com 1.600. Aeroportos No sábado, domingo e segunda-feira passados houve fiscalização nos aeroportos Tom Jobim e Santos Dumont, por onde circulam vôos domésticos. Hoje durante o desembarque de vôos internacionais no Tom Jobim, não havia sinal de fiscalização. Quatro menores que trabalham como engraxates estavam dentro do terminal - o que seria coibido, de acordo com o que foi anunciado na semana passada pelas autoridades. "A gente vem sempre aqui. Às vezes eles deixam ficar, outras vezes, não. Continuamos tentando", contou um deles, aparentando ter 13 anos.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.