Operação Dublê prende 25 no Ceará por clonagem de cartões

A Polícia Federal desencadeou, nesta quarta, em Fortaleza e mais três Estados, a Operação Dublê. Vinte e cinco pessoas foram presas na capital e no interior cearenses. Três continuam foragidas. Elas são suspeitas de integrarem uma quadrilha de clonagem de cartões de crédito e bancários. Entre os envolvidos, estão dois funcionários dos Correios, acusados de violarem correspondências bancárias, e dois funcionários terceirizados da Caixa Econômica Federal, que pegavam dados de clientes do banco.A Justiça Federal mandou executar 58 mandados de busca e apreensão e decretou a prisão de 37 pessoas, dessas 28 no Ceará. Duas pessoas foram presas no Rio de Janeiro. De acordo com a PF a base da quadrilha fica nos Inhamuns, principalmente, nas cidades de Novo Oriente e Crateús. Também foram identificadas ramificações no Rio de Janeiro, São Paulo e Goiânia.Ainda segundo a PF, um dos líderes da quadrilha é Luiz Mário Alves Bezerra.Ele recebeu voz de prisão em um hospital de Fortaleza, onde estava se recuperando de um atentado à bala sofrido mês passado. Bezerra levou seis tiros quando estava em um bar. A PF acredita que o grupo também era chefiado de dentro do Instituto Penal Professor Olavo Oliveira (IPPOO).Os federais apreenderam ainda 12 carros em uma concessionária de Fortaleza Suspeita-se que os mesmos tenham sido adquiridos com dinheiro roubado pela quadrilha. Os presos estão na sede da Polícia Federal. Com eles, foram encontrados computadores, documentos falsos, armas, cocaína e cartões crédito clonados. De acordo com PF, a quadrilha planejava estender o golpe para outros países.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.