Operação em Manguinhos deixa crianças sem aula e um ferido

Mais de 2 mil crianças estão sem aulas; policiais invadiram a Favela do Mandela e 19 foram presos durante a ação

Roberta Pennafort, O Estado de S. Paulo

12 de maio de 2009 | 10h16

Policiais do Core durante operação na Favela do Mandela, em Manguinhos Foto: Marcos Arcoverde/AE

 

Mais de 2 mil crianças estão sem aula nesta terça-feira, 12, por causa de uma operação policial na Favela do Mandela, no conjunto de favelas de Manguinhos, no Rio. Duas escolas de Ensino Médio tiveram as aulas suspensas. Pelo menos 19 pessoas foram presas durante a operação e um policial ferido durante tiroteio. No entanto, não há informações sobre mortos.

 

As escolas que resolveram interromper as aulas por medida de segurança são Colégio Estadual Professor Clóvis Monteiro, na Avenida dos Democráticos, e Colégio Estadual Luiz Carlos da Vila, na Avenida Dom Hélder Câmara. Cerca de 1.740 alunos de uma das escolas, e outros 600 estudantes de outro colégio, ficaram sem aulas. A suspensão das aulas é feita por determinação dos diretores, que têm autonomia para decidir sobre a interrupção para garantir a integridade dos alunos, de acordo com a Secretaria Estadual de Educação.

 

Quarenta e uma motocicletas e dezoito armas foram apreendidas nesta manhã, quando 170 policiais se deslocaram até a favela. Dezenove pessoas foram presas e um policial ficou ferido em tiroteio com traficantes da região.

 

Nesta tarde, o secretário de Segurança, José Mariano Beltrame, dará uma entrevista sobre a operação. Um empresário de 52 anos foi à Delegacia de Roubos e Furtos de Automóveis para reaver sua motocicleta. Ele fora assaltado na sexta-feira passada por dois homens armados que estavam em outra moto. "Eles disseram que se eu fosse policial e estivesse armado ou fizesse qualquer coisa iria morrer. Hoje estou aliviado."

 

Texto ampliado às 14h55 para acréscimo de informações.

 

(Com informações de Solange Spigliatti, da Central de Notícias)

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.