Operação fecha rádios clandestinas em São Gonçalo

Quatro rádios piratas foram fechadas nesta terça-feira em São Gonçalo, no Grande Rio, por agentes federais. Os policiais apreenderam transmissores, equalizadores, mesas de som, microfones, CDs, entre outros equipamentos. As emissoras foram lacradas e não podem voltar a operar. O delegado Wanderson Pinheiro, que chefiou a operação "Bom Dia, São Gonçalo", afirmou que algumas emissoras tinham cunho religioso, outras eram rádios comerciais com venda de anúncio para o comércio local, mas todas se escondiam sob a fachada de rádio comunitária, sem terem, no entanto, autorização para funcionarem. Os 25 agentes dividiram-se em sete equipes e seguiram para os endereços das rádios pela manhã. Eles tinham mandado de busca e apreensão de equipamentos em sete emissoras, mas em três dos endereços os agentes encontraram salas vazias. Os responsáveis pelas quatro rádios foram detidos e levados para a Delegacia da Polícia Federal de Niterói. Eles foram enquadrados no artigo 70 do Código Brasileiro de Telecomunicações, que pune com até 2 anos a radiodifusão clandestina, e liberados em seguida. A Polícia Federal estima que existam 50 rádios piratas em São Gonçalo. O delegado Wanderson Pinheiro disse que haverá outras operações para reprimir a atividade na cidade.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.