Reprodução/Unsplash
Reprodução/Unsplash

Operação internacional de combate à pedofilia cumpre 110 mandados de busca e apreensão

Ações simultâneas realizadas no Brasil e na Argentina mobilizam um efetivo aproximado de mil policiais

Ana Paula Niederauer, O Estado de S.Paulo

22 Novembro 2018 | 09h11

SÃO PAULO - Uma operação policial internacional de combate ao abuso e exploração sexual contra crianças e adolescentes praticados na internet foi desencadeada na manhã desta quinta-feira, 22, em 20 Estados brasileiros, no Distrito Federal e também em Buenos Aires, capital da Argentina. Até o fim da tarde, 45 pessoas foram presas, segundo o ministro da Segurança Pública, Raul Jungmann.

Segundo o ministro, a operação fez a investigação de mais de 500 mil arquivos para chegar aos pedidos de busca e apreensão. “Essa operação vem sendo desenvolvida e preparada há meses, mas vai exatamente do dia de hoje ao dia de amanhã, quando a gente vai poder apresentar o resultado final de todo esse trabalho”, disse.

A operação, denominada 'Luz na Infância 3', coordenada entre a Secretaria Nacional de Segurança Pública (Senasp) do Ministério da Segurança Pública e as Polícias Civis do Distrito Federal e de 20 Estados, cumpre 69 mandados de busca e apreensão.

O Corpo de Investigações Judiciais (CIJ) do Ministério Público Fiscal da Cidade Autônoma de Buenos Aires, Argentina, realiza operação simultânea e cumpre 41 mandados de busca. 

Os alvos internacionais foram identificados após atuação conjunta entre a Diretoria de Inteligência da Senasp/MSP e autoridades policiais da Argentina. 

As ações simultâneas realizadas no Brasil e na Argentina mobilizam um efetivo aproximado de mil policiais. 

Na avaliação de Jungmann, esse tipo de crime é “asqueroso porque ele macula e profana a nossa juventude e as crianças e, evidentemente, isso as compromete e compromete também o nosso futuro”, afirmou.

“Nós queremos deixar bem claro que não existe anonimato em rede social. Não existe impunidade na rede social e a Polícia Federal tem condições de chegar em quem cometer estes crimes não tenha a menor sombra de dúvida”, completou.

A Operação Luz na Infância teve início em outubro de 2017, quando foram cumpridos 157 mandados e presos 112 abusadores. Na segunda edição, ocorrida em maio de 2018, houve cumprimento de 579 mandados de busca, resultando na prisão de 251 pessoas.

A Operação Luz na Infância 3 é fruto de cooperação entre a Secretaria Nacional de Segurança Pública, a Polícia de Imigração e Alfândega dos EUA (US Immigration and Customs Enforcement - ICE), o Corpo de Investigações Judiciais (CIJ) do Ministério Público Fiscal da Cidade Autônoma de Buenos Aires e as Polícias Civis do Brasil para o desenvolvimento e aprimoramento da atividade de repressão à exploração sexual infanto-juvenil.

 

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.