Operação leva 887 pessoas para a delegacia por urinar nas ruas no carnaval do RJ

Agentes ainda multaram 4.113 veículos e rebocaram 405 por estacionamento irregular na cidade

estadão.com.br,

22 Fevereiro 2012 | 14h09

SÃO PAULO - Desde o dia 20 de janeiro, primeiro dia dos desfiles dos blocos pré-carnavalescos, até a noite desta terça-feira, 21, 887 mijões foram encaminhadas para as delegacias da cidade do Rio de Janeiro. Este número é maior do que o do carnaval do ano passado, quando 777 pessoas foram parar nas delegacias da cidade por fazer xixi em via pública.

O esquema especial de monitoramento e fiscalização montado pela Secretaria Especial da Ordem Pública o (Seop) para o carnaval 2012 atuou com 8.600 pessoas entre agentes da SEOP e guardas municipais. O esquema segue até o próximo domingo, 26.

A fiscalização percorreu os principais blocos da cidade, no Sambódromo e Terreirão, além de ter realizado o ordenamento de eventos do carnaval em vários pontos da cidade: Cinelândia, Avenida Rio Branco, Lapa, 28 de setembro, Intendente Magalhães, Praça Saens Peña, Largo da Taquara, Largo Verdum e Paquetá.

Agentes da Seop retiraram 36 estruturas (tendas e dois banheiros de madeira) montadas irregularmente em área pública em diversos blocos para dar mais fluidez ao desfile. A fiscalização atuou também na concentração, no trajeto e na dispersão dos principais blocos, fazendo com que cumprissem os horários previstos para melhorar a fluidez dos desfiles e liberar o tráfego após o seu encerramento.

No desfile do Bola Preta, no sábado de carnaval, agentes impediram ainda a realização de dois bailes funks, inclusive com a participação de DJs, que ocorriam na Avenida Rio Branco durante o desfile do bloco.

Estacionamento irregular. Para combater o estacionamento irregular, desde a sexta-feira, 17, até a noite de ontem fiscais da Seop multaram 4.113 veículos e rebocaram 405 por estacionamento irregular nos blocos de carnaval, Sambódromo e Terreirão, além de outros eventos espalhados por todo o Rio.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.