Operação mobiliza 10 mil homens na fronteira Sul

Uma operação militar integrada, reunindo forças e equipamentos da Marinha, do Exército e da Aeronáutica, será apresentada hoje ao vice-presidente Michel Temer, no centro de comando de Porto Alegre. A Operação Ágata 2 mobiliza 10 mil homens e mulheres empenhados fiscalizar 3,5 mil quilômetros da fronteira sul nos limites territoriais com a Argentina, o Uruguai e o Paraguai.

ROBERTO GODOY, O Estado de S.Paulo

21 Setembro 2011 | 03h06

Não é um exercício. Temer vai ver a segunda etapa do primeiro movimento operacional do Sifron, Plano Estratégico de Fronteiras. Programa de longo curso, ele será executado em etapas. A primeira, de seis anos, deve ter a infraestrutura iniciada em 2012.

Em agosto, o governo promoveu, na Amazônia, a Ágata 1. Três pistas clandestinas, utilizadas pelo narcotráfico e por contrabandistas, foram localizadas com o uso de um veículo aéreo não tripulado e bombardeadas.

A consequência final das operações só estará consolidada em 2020. O custo pode chegar aos R$ 180 bilhões. O sistema implica a incorporação de dois ou três satélites, reorganização da tropa de fronteira - com novas unidades - reequipada e coberta por ampla rede eletrônica. Haverá uma sede nacional, em Brasília interligando centros regionais e estações locais.

A Operação Ágata 2 tem apoio do Ministério da Justiça. Desde ontem entrou no esquema o Ministério da Agricultura, por causa do controle do trânsito do gado. A Aeronáutica levou para a região 30 aviões. Há dois dias a Marinha monitora lagos e rios. A operação não tem prazo definido de duração.

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.