Operação para tentar prender Elias Maluco não tem prazo para acabar

A Polícia Civil ocupou na manhã desta terça-feira o Complexo do Alemão, na zona norte do Rio, em uma megaoperação com 500 homens para prender o traficante Elias Pereira da Silva, o Elias Maluco, acusado de assassinar o repórter Tim Lopes, em junho. A operação, batizada de ?Pandora?, não tem prazo para terminar. ?Temos um objetivo claro e vamos ficar aqui até conseguirmos prender Elias Maluco?, disse o titular da Delegacia de Roubos e Furtos, Alcide Iantorno.Dois helicópteros, o dirigível da Secretaria de Segurança Pública e outras quatro unidades especializadas - Coordenadoria de Recursos Especiais (CORE), Divisão de Repressão a Entorpecentes (DRE), Divisão Anti-Seqüestro (DAS) e Delegacia de Homicídios (DH) - participam do cerco.Escondido e fortemente armadoInvestigações da polícia e informações obtidas no serviço Disque-Denúncia apontam a presença de Elias Maluco no alto do Morro da Grota, região onde Tim Lopes foi morto. ? Cruzamos diversas informações e temos certeza de que ele está escondido na favela e fortemente armado. Por isso, mobilizamos todo esse pessoal?, afirmou o delegado Paulo Passos, da Delegacia de Homicídios.Toda a área foi cercada e bloqueada pela polícia, cujas equipes se revezarão em dois turnos de 12 horas, com 250 homens em cada um. O aparato montado no Complexo do Alemão conta com a cooperação da Justiça e do Ministério Público do Estado. O juiz da 1ª Vara Criminal Alexandre Abraão está de plantão à disposição da polícia para conceder eventuais mandados de busca e apreensão em casas suspeitas no morro. O delegado informou que a polícia conta com pelo menos dez mandados de busca e apreensão para tentar localizar o assassino de Tim Lopes.Entrando de casa em casa, educadamenteApesar do tamanho da operação, até as 18 horas, apenas um foragido da Justiça e um menor, com passagem por unidades reformatórias - nenhum dos dois aparentemente ligados a Elias Maluco - foram detidos. ?Estamos entrando de casa em casa, educadamente, atrás do traficante. Contamos com o apoio da sociedade e da comunidade?, disse Passos.A operação não enfrentou a resistência de criminosos durante o dia, a não ser no início da manhã, quando integrantes do CORE, força de elite da Polícia Civil, foram recebidos a tiros no alto do morro da Grota, onde chegaram de helicóptero para iniciar a operação. Ninguém ficou ferido. O CORE será responsável pelo patrulhamento noturno da área junto com as delegacias da área.RespeitadoA polícia estima em 150 homens o efetivo do tráfico no Complexo do Alemão, um dos locais mais violentos da cidade. O conjunto de favelas abriga morros vizinhos dominados por facções criminosas rivais, como o Comando Vermelho (CV) e o Terceiro Comando (TC).Elias Maluco, integrante do CV, ?conquistou maior respeito entre seus aliados após ter comandado a execução de Tim Lopes?, disse o delegado Paulo Passos.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.