Operação paralisa obras do PAC e acha área de execução

Agentes do Batalhão de Operações Especiais (Bope) encontraram ontem na favela da Rocinha restos mortais (pedaços de ossos, sangue e massa encefálica) em um local que seria usado para torturar e matar inimigos do tráfico. A PM apreendeu 16 tabletes de maconha prensada, camisas da Polícia Civil e munição para armas de vários calibres. No início da operação, houve intensa troca de tiros entre traficantes e policiais, o que provocou o fechamento de parte do comércio e a suspensão do trabalho de 700 operários do Programa de Aceleração do Crescimento (PAC).A operação, que durou quase nove horas, tinha como objetivo encontrar um cemitério clandestino às margens da Floresta da Tijuca. A polícia acreditava que ali poderia estar o corpo da engenheira Patrícia Amieiro, desaparecida há mais de um ano, supostamente depois de ser vítima de uma falsa blitz.Quatro policiais militares são acusados do crime.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.