Operação policial desmonta grupos de extermínio em PE

Ação em conjunto entre polícias Civil e Militar prendeu 43 pessoas na região metropolitana e Refice

Mônica Bernardes, O Estado de S.Paulo

20 Agosto 2008 | 17h38

Numa megaoperação montada para desarticular grupos de extermínio e tráfico de drogas que atuam na região metropolitana do Recife, cerca de 420 policiais militares e civis de Pernambuco prenderam, até o final da tarde desta quarta-feira, 20, 43 pessoas. Nove pessoas continuam foragidas.   De acordo com o delegado Joel Venâncio, titular da Delegacia de Homicídios e Proteção à Pessoa (DHPP), as prisões atingiram três grupos de extermínio, acusados de executar pelo menos 36 pessoas nos oito primeiros meses deste ano. A ação ganhou o nome de Operação Guararapes, numa alusão ao município de Jaboatão dos Guararapes, vizinho ao Recife, para o qual foram expedidos a maior parte dos 52 mandados de prisão e 53 de apreensão.   Entre os suspeitos de pertencer aos grupos estão dois candidatos a vereador de Jaboatão dos Guararapes e três policiais - um civil, um militar e um soldado do Corpo de Bombeiros. Além dos candidatos e policiais, também estão na lista comerciantes e empresários, entre eles o dono de uma retífica de automóveis, onde supostamente funcionava um desmanche de carros.   Segundo o secretário de Defesa Social de Pernambuco, Servilho Paiva, as investigações sobre os três grupos começaram em fevereiro. A lista completa com o nome dos presos será divulgada nesta quinta-feira pelo secretário, durante entrevista coletiva.   Participam da ação policiais do Departamento de Homicídios e Proteção à Pessoa (DHPP), da Gerência de Polícia Especializada (GPE) e de várias delegacias do Grande Recife. Também integram o grupo policias militares da Companhia Independente de Operações Especiais (CIOE).

Mais conteúdo sobre:
polícia Pernambuco Recife violência

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.